AREA PRIVADA

Publicações

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Mensagem do Presidente do Comité Olímpico de São Tomé e Príncipe

Classifique este item
(0 votos)

A Carta Olímpica define o Olimpismo como “uma filosofia de vida que exalta e combina de forma equilibrada as qualidades do corpo, da vontade e do espírito.

Aliando o desporto à cultura e educação, o Olimpismo é criador de um estilo de vida fundado no prazer do esforço, no valor educativo do bom exemplo e no respeito pelos princípios éticos fundamentais universais.

O objectivo do Olimpismo é o de colocar o desporto ao serviço do desenvolvimento harmonioso do Homem em vista de promover uma sociedade pacífica preocupada com a preservação da dignidade humana.

O Movimento Olímpico é a ação, concertada, organizada, universal e permanente, de todos os indivíduos e entidades que são inspirados pelos valores do Olimpismo, sob a autoridade suprema do Comité Olímpico Internacional. Estende-se aos cinco continentes e atinge o seu auge com a reunião de atletas de todo o mundo no grande festival desportivo que são os Jogos Olímpicos.

A prática do desporto é um direito do homem. Todo e qualquer indivíduo deve ter a possibilidade de praticar desporto, sem qualquer forma de discriminação e de acordo com o espírito Olímpico, o qual requer o entendimento mútuo, o espírito de amizade, de solidariedade e de fair play.

A organização, administração e gestão do desporto devem ser controladas por organizações desportivas independentes.

Toda a forma de descriminação relativamente a um país ou a uma pessoa com base na raça, religião, política, sexo ou outra, é incompatível com a pertença ao Movimento Olímpico.

Pertencer ao Movimento Olímpico exige o respeito da Carta Olímpica e o reconhecimento pelo Comité Olímpico Internacional.

O Movimento Olímpico engloba as organizações, os atletas e outras pessoas que se submetam à Carta Olímpica. O Movimento Olímpico tem como objectivo contribuir para a construção de um mundo melhor e pacífico através da educação dos jovens por via da prática desportiva, de acordo com o Olimpismo e os seus valores.

As três principais constitutivas do Movimento Olímpico são o Comité Olímpico Internacional (COI), as Federações Desportivas Internacionais (FI) e os Comités Nacionais Olímpicos (CON)”.

 O Comité Olímpico de São Tomé e Príncipe, como membro desta grande família universal pretende com a criação deste espaço criar uma plataforma, onde a partir de agora vai mostrar o que tem sido feito no nosso país.

São Tomé e Príncipe como parte integrante deste mundo cada vez mais global devemos ser cada dia que passa uns verdadeiros gladiadores, motivados e com vontade de enfrentar todos os desafios que nos são impostos pela dinâmica das mudanças que o movimento desportivo precisará nos próximos tempos.

A concretização destes desafios, deve contar com a colaboração de todos (o poder político, a sociedade civil, o Comité Olímpico e as Federações Nacionais) redobrando todos os esforços para proporcionar ambientes favoráveis para a prática desportiva. Mas uma coisa é certa, nada disto acontecerá sem o envolvimento, a vontade dos atletas e não esquecendo o trabalho dos técnicos.

O desporto santomense está a trilhar o seu caminho, está na travessia do deserto, os resultados tardam em chegar, mas estou convencido que os melhores dias estão muito mais pertos hoje.

Alguns resultados têm começado a apontar o horizonte, mas urge trabalhar muito e de forma concertada e manter muita cautela.

Precisamos fazer renascer o desporto nacional.

É esta a minha principal motivação para continuar a frente do Comité Olímpico de São Tomé e Príncipe, pretendo contribuir com a experiência que fui adquirindo ao longo dos tempos com todas as partes interessadas num trabalho sério e planificado na promoção e no desenvolvimento do potencial humano importante que existe no nosso país e que têm sido, na minha humilde opinião, subutilizado.

O outro aspeto, que também não deve ser esquecido, está ligado à necessidade de se garantir a serenidade e a estabilidade do Comitê Olímpico como a mais alta autoridade moral do desporto santomense.

A atual equipa do Comité Olímpico de São Tomé e Príncipe tem desenvolvido ações que felizmente de forma brilhante nos tem permitido vislumbrar o futuro com algum entusiasmo.

Hoje temos uma imagem que nos permite ser o interlocutor do Movimento Olímpico e Desportivo Nacional sem deixar desconfianças.

Acredito que, a este respeito, conseguimos criar a emulação necessária e agora estamos no caminho certo.

A Boa Governação tem sido um dos eixos prioritários da nossa instituição, sempre no cumprimento escrupuloso das normas em vigor em São Tomé e Príncipe e da Carta Olímpica.

Neste sentido, temos feito progressos consideráveis​​.

A criação de mecanismos para tentar por a prática desportiva acessível a todos, a promoção do desporto de elite e a promoção das mulheres no desporto tem sido o nosso apanágio.

A união da família desportiva nacional a volta de projetos comuns e planos de ação perspicaz e estratégicos que, devem dar lugar ao renascimento do desporto e a expansão do Olimpismo em São Tomé e Príncipe tem merecido uma atenção particular da nossa parte.

Defendemos uma imagem do desporto nacional baseada nos valores do Olimpismo, o espírito de fraternidade, solidariedade e sabedoria, que sempre foram apanágio do Movimento Olímpico.

Sempre acreditei que temos um potencial significativo, mas nós não o trabalhamos suficientemente, com algumas exceções.  

Finalmente, espero que esta janela que se abre pelo Comité Olímpico de São Tomé e Príncipe possa servir de ponte para os fazedores do desporto se interagirem e trocarem opiniões que possam contribuir para a mudança do paradigma desportivo nacional.

 

Presidente do comité Olímpico de São Tomé e Príncipe

João Costa Alegre

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.